sábado, 31 de março de 2012

Mensagens de Esperança (HL)





A generosidade de Deus



Errar é humano, perdoar é divino. Este ditado popular resume bem a generosidade de Deus. Como é fácil cometer erros e como é difícil perdoar. Quando erramos sempre esperamos que os outros nos perdoem, mas quando pisam em nosso calo, como é difícil perdoar. Por isso é importante que reconheçamos a generosidade de Deus. Mais do que isso, agradeçamos a ele por tanta paciência e generosidade. Mas, de onde vem tanta generosidade? Vem do grande amor que Deus tem por você. Ele realmente é seu pai e está sempre de braços abertos para perdoar você. Não pense que Deus é como nós. Ele é bem diferente. Ele é, acima de tudo, generoso. Ele generosamente nos estende a mão nos momentos difíceis. Ele generosamente entregou Jesus para morrer na cruz por você. E ainda nos convida: Venham a mim e eu vos aliviarei. Que generoso e amoroso Deus nós temos. Como é bom saber disso! 

Oração:
Pai Celeste, agradeço por derramares sobre a minha vida muitas bênçãos. Ajuda-me nas minhas necessidades materiais. Se for da tua vontade, ajuda-me a superá-las, mas acima de tudo eu peço que me ajudes a fortalecer a minha convicção de que em todos os momentos o Senhor está comigo e me abençoa sempre. Em nome de Cristo. Amém. 

(Hora Luterana – Mensagens de Esperança)

Tenham todos um ótimo sábado.
Fiquem com Deus
Abraços, Nóiminha.


sexta-feira, 30 de março de 2012

Artigo: Desperdícios!


Desperdícios


Visualizar os números da fome é constrangedor para qualquer um que consegue comer bem todos os dias. Cerca de 900 milhões de pessoas estão em estado de subnutrição!
Duplamente constrangedor é observar os números do desperdício. Li que só no Brasil o desperdício acumulado desde a colheita, transporte, armazenamento e comércio, chega a 11 milhões de toneladas de alimento por ano.
No entanto, ouvir a óbvia conclusão dos estudiosos e palestrantes de Fóruns Sociais de que a maior culpa do desperdício está na ganância e corrupção ultrapassa a linha do mero constrangimento.
Na Bíblia, em João 12, lemos que Judas Iscariotes, o discípulo que traiu Jesus, encheu a boca em um discurso para criticar o desperdício. Acontece que Maria de Betânia derramou sobre Jesus um frasco de perfume valiosíssimo. O valor do bálsamo era correspondente a um ano inteiro de trabalho. Judas então disse que seria conveniente ter vendido, pego o dinheiro e ter ajudado os pobres. Mas na verdade ele, que era o tesoureiro do grupo, pegava o dinheiro para si. O curioso é que mesmo no grupo de Jesus a corrupção já acontecia. Não somente a corrupção, mas também os discursos hipócritas.
Será que também censuraríamos a mulher? Talvez sim. No entanto, Jesus a defende e elogia. Diz o Mestre que aquele perfume não era desperdício, pois era para perfumar o seu corpo que logo seria morto.
Se Jesus está no centro de nossas ações, nada é desperdício, por outro lado “o amor ao dinheiro é a raiz de todo mal (1º Timóteo 6.10).”
Judas criticou a atitude da mulher, enquanto em uma relação econômica, planejava entregar Jesus por trinta moedas de prata. Logo, logo esqueceu os pobres. Dessa vez o esquecimento não foi devido a ganância, mas devido ao desespero jogou as moedas aos pés dos sacerdotes.
Judas acusou a mulher de desperdício enquanto ele mesmo desperdiçava a vida eterna. Que, ao contrário de Judas, administremos tudo, não com a esperteza desse mundo, mas com a sabedoria do Céu, que nos faz privilegiar os valores eternos e sentir fome de justiça.
Jesus, aquele que não poupou nem mesmo o seu sangue para resgatar a humanidade, promete: “Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados” (Mateus 5.6).
O amor que Deus oferece em Jesus, não pode ser desperdiçado!

Rev. Ismar L. Pinz — Pelotas-RS — pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil.

Tenham todos uma ótima sexta.
Fiquem com Deus.
Diego Elias Neumann.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Dia da foto...

Foto velhinha, mas muito boa. Saudades dessa galera.


Tenham todos uma ótima quinta.
Fiquem com Deus.
MIX.

quarta-feira, 28 de março de 2012

terça-feira, 27 de março de 2012

Frase do dia:



“É natural o fenômeno: sempre que nos aproximamos diante das obras-primas da criação, secreto instinto nos adverte que estamos na presença de Deus.” 
Franklin Távora, escritor cearense.

Tenham todos uma ótima terça.
Fiquem com Deus.
MIX.

domingo, 25 de março de 2012

Estudo: Oração



ORAÇÃO
INTRODUÇÃO:
O que nós entendemos quando se fala em oração? O que é oração para você? Você tem medo de orar? A oração é o falar franco com Deus. Na oração nós agradecemos e pedimos bênçãos.
Se olharmos a palavra oração no dicionário encontraremos o seguinte significado:
oração: É uma Súplica religiosa; reza; discurso; sermão.
Em livros cristãos a respeito da oração podemos encontrar o seguinte significado: Oração é um conversar de coração-a-coração, é um culto em que falamos abertamente com Deus, lhe apresentando os nossos agradecimentos, louvores e pedidos.
A oração é sem dúvida, um dos maiores recursos que Deus nos deixou, para ser usado por nós cristãos. Para avaliá-lo, pensemos o seguinte: Nós temos problemas! Que tal se tivéssemos alguém para nos ajudar a levar conosco os nossos fardos? 
Este alguém existe!!!   É o nosso bondoso Deus.  E através da oração podemos falar com ele!!! 

APLICAÇÃO:
A seguir veremos algumas partes importantes dentro da oração:
1- A quem orar: Mt.4.10: Devemos adorar somente ao Deus verdadeiro: Pai, Filho e Espírito Santo. Só Ele pode e quer atender as nossas orações. Deus não admite que oremos a santos. Tais orações não valem.
- Tt.2.14: Cristo nos resgatou, nos redimiu, nos libertou mediante alto preço, com seu sangue; a vida de Cristo foi dada em resgate. Por isso somente a ele devemos orar. Somente ele pode nos ajudar. O Cristão ora somente ao Deus triúno (Pai, Filho e Espírito Santo).

2- Porque orar: Deus nos ordena a orar (Sl.50.15 e Mt.7.7). Ele quer que oremos. Ele também promete atender nossas orações quando diz: “Eu te livrarei”.
- Tg.5.16: “Orai uns pelos outros”.  Em tudo dependemos de Deus. Precisamos dele toda hora; outras pessoas igualmente precisam, por isso, devemos orar uns pelos outros.
- Oramos porque:
n Deus nos ordena a orar;
n Deus promete atender as nossas orações;
n Nós precisamos da ajuda de Deus;
n Outras pessoas precisam da ajuda de Deus;

3- O que pedir: Tudo o que realmente precisamos devemos pedir  a Deus e Ele promete nos dar. Devemos pedir bens materiais: saúde, emprego, amigos, bom tempo, alimento, progresso no estudo etc. Devemos pedir bens espirituais: fé, perdão, salvação, pregação do evangelho, crescimento da igreja etc.
- Mt.8.2: Pedir tudo mas sempre lembrar-se em dizer, segundo a vontade de Jesus, e não a nossa.  Deixemos a decisão na mão de Deus.

4- Como orar: Devemos orar em nome de Jesus (Jo.16.23). Temos o direito de orar a Deus por causa do perdão que Jesus nos concedeu na cruz.  Por intermédio de Jesus, chegamos ao Pai.
- Mt.21.22: Devemos orar com fé, com absoluta confiança que Deus nos atende. Devemos orar em nome de Jesus e com absoluta confiança.

5- Para quem orar: Devemos orar por nós mesmos e por todos os homens.
- Mt.5.44: Devemos orar até mesmo em favor dos nossos inimigos. Oramos em favor de nós e de todos os homens, inclusive para os nossos inimigos pois estes também carecem de Cristo.  Não se deve orar pelos mortos.

6- Onde orar: Devemos orar em qualquer lugar, não importa onde estamos.
- Mt.6.6: Devemos orar especialmente em nosso quarto de dormir, porque é o lugar onde nos encontramos geralmente sozinhos para falar com Deus.

7- Quando orar:  Devemos orar sempre e seguidamente.
- Devemos orar em todas as horas:  Horas de alegria ou até mesmo de angústia e aperto (Sl 50.15). O cristão ora todos os dias, principalmente nas horas de necessidade.

ORAÇÃO AOS ENFERMOS:

A oração com o enfermo é uma forma de coloca-lo em contato com Deus.
A importância: 1º Alguns enfermos acham que, por causa da doença, Deus os abandonou; 2º É oferecido consolo, confiança e esperança ao enfermo.
Quando orar com o enfermo, deve-se:
·         Orar a partir da realidade do paciente;
·         conhecer a situação do enfermo, saber sobre sua doença;
·         se possível, saber um pouco da situação familiar em que se encontra;
·         se possível, pedir ao paciente se deseja incluir por alguém especial;
·         lembrar na oração, que Deus está sempre presente, trazendo consolo, confiança e esperança;
·         evitar fazer algumas orações memorizadas, quando está com pressa, nervoso;
·         evitar fazer orações compridas;
·         na oração, jamais prometa que Deus irá curá-lo.
Se o paciente notar que estamos fazendo uma oração somente pelo simples ato de efetuá-la, poderemos criar uma barreira muito grande, que implicará numa aceitação ou não de uma subsequente visita.
“Venham a mim todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas e eu lhes darei descanso.” Mt 11.28


Adaptado por Diego Neumann dos textos: Sumário da Doutrina Cristã - As Doutrinas da Fé Cristã - O pastor visitando enfermos

Tenham todos um ótimo domingo.
Fiquem com Deus .
Nóiminha.

sábado, 24 de março de 2012

Mensagens de Esperança (HL)



A bondade de Deus

Deus é bom! Muitas vezes parece difícil de acreditar. Muitos já falaram: “Se Deus é bom, por que ele permite que coisas más aconteçam?” Será que realmente Deus é a fonte das coisas más? Claro que não! Infelizmente, coisas más acontecem, e a culpa é nossa. Por nossa natureza somos todos pecadores. O egoísmo faz parte de nós. Desde pequenos já demonstramos o nosso egoísmo. A nossa sociedade está cada vez mais individualista e materialista. A ganância e a maldade humana é que causam a violência, a fome e a guerra. Mas, como mudar? A verdadeira mudança começa no arrependimento. Pedir perdão é o primeiro passo para, em seguida, mudar. Olhe mais para o lado e tente ajudar as pessoas. Cristo é o grande exemplo. Ele nos serviu com a sua própria vida. O que ele ganhou com isso? Tortura, sofrimento e morte. Mas, ele sabia que isso era preciso para nos salvar. E ele fez isso por você. Para dar a você vida plena e eterna. 

Oração:
Grandioso e amado Deus, olha pela minha vida e da minha família. Permita que vivamos em comunhão e amor. Que nada interfira no bom relacionamento familiar. Cuida, Senhor, dos meus familiares e ajuda-nos no que precisamos. Amém. 
(Hora Luterana – Mensagens de Esperança)

Tenham todos um ótimo final de semana.
Fiquem com a paz de Deus.
MIX

sexta-feira, 23 de março de 2012

Artigo: Os nossos planos!


Os nossos planos...

O que fazer quando os planos de Deus são diferentes dos nossos? Ficar bravo? Espernear? Descontar nossa frustração nos outros? Ou nada disso?
Nesta manhã de domingo acordamos bem cedo. E não foi para ir ao culto, o culto foi na noite de sábado. O domingo estava livre e, por isso, pensamos em aproveitar para ir à praia. Moramos há pouco mais de uma hora do litoral.
Então ontem fizemos nossos planos. Minha filha mais velha pegou o caderno e fez uma lista de tudo que faríamos ao chegar à praia. Uma lista muito grande, aliás. O dia seria pequeno para tantos planos...
Nós planejamos como e onde tomaríamos as refeições, se as levaríamos de casa ou se comeríamos por lá mesmo — coisas assim. Arrumamos as malas e fomos nos deitar.
Às 6 e meia da manhã deste domingo já estávamos nos levantando. Mas havia uma surpresa: estava chovendo...
A decepção, especialmente das crianças, é grande. Nossos planos foram jogados por terra. Talvez aqui fosse a hora de ficar bravo, espernear. Descontar nossa frustração nos outros...
Ou nada disso.
É hora de lembrar que “As pessoas podem fazer seus planos, porém é o Senhor Deus quem dá a última palavra.” (Pv 16.1).
Assim é em tudo na vida. Nós planejamos, nos organizamos e queremos que tudo aconteça do jeito que planejamos. Então vem uma doença, a perda do emprego, não passar no vestibular...
Aí sim, certamente é hora de: ficar bravo, espernear. Descontar nos outros...
Não, nada disso.
Na verdade, é hora de lembrar que do Senhor dependem todos os nossos planos e, muitas vezes, não temos sucesso porque dizemos: “eu farei isso, eu farei aquilo”. Quando o que deveríamos dizer, em espírito de oração, é: “Se Deus quiser, eu farei isso eu farei aquilo.”
É comum ficar triste quando nossos planos não dão certo. Mas é também o momento de chegar perto do Senhor e entregar todos os nossos planos em suas amorosas mãos. Afinal, quem não se negou a oferecer seu Filho para a nossa salvação, também não vai se negar em nos guiar o caminho.
Lembre-se: “As pessoas fazem muitos planos, mas quem decide é Deus, o Senhor.” (Pv 19.21).
E o Senhor sempre decide para o bem de seus filhos. Seja um dia de praia, seja qualquer plano da vida. Afinal “sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a quem ele chamou de acordo com o seu plano.” (Rm 8.28).
(Artigo retirado da Revista Teologia Nº 8.)

Escrito pelo Rev. Jarbas Hoffimann — Nova Venécia-ES, pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil, da qual é membro da Comissão de Culto da IELB.

Tenham todos uma ótima sexta.
Fiquem com Deus.
MIX.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Dia da foto.

Como é bom voltar ao Seminário!!!
Tenham todos uma ótima quinta.
Fiquem com Deus.
MIX.

quarta-feira, 21 de março de 2012

terça-feira, 20 de março de 2012

Frase do dia:

 

“As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos. A felicidade aparece para aqueles que choram, para aqueles que se machucam, para aqueles que buscam e tentam sempre e para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.”

Autor  Desconhecido

Tenham todos uma ótima terça.
Fiquem com Deus.
Diego N.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Mensagem: Que tipo de Jesus você conhece?


18/03/12 – 4º Domingo na Quaresma
Sl 107. 1 – 9; Nm 21. 4 - 9; Ef 2. 1 - 10; Jo 3. 14 - 21
Tema: Que tipo de Jesus você conhece?

Números 21. 4 – 9 é um texto que apresenta o povo de Israel caminhando pelo deserto rumo à terra prometida. Ao longo dos anos Deus demonstrou seu amor e cuidado pelo povo. Enquanto os dias iam passando, a promessa da terra prometida parecia ser irreal, e o povo começou a agir assim como é natural que ocorra, começou a reclamar. Com a reclamação veio à impaciência: "vocês nos tiraram do Egito para morrer de fome e sede neste deserto. Já estamos cansados, e não vemos quando isso vai terminar".
O texto diz que Deus ficou extremamente decepcionado com o seu povo e o abandonou à própria sorte. O deserto por si já é mortal, e agora, abandonado a própria sorte, a situação que era ruim, tende a piorar. O sofrimento se multiplicou, veio à dor e a morte. Tudo isso já existia, mas, o povo cegado devido à reclamação, havia esquecido as vezes que Deus os havia livrado. Entregues a própria sorte, caíram em extremo desespero, e vendo a morte mais perto que nunca, pois as serpentes estavam ali, o povo reconheceu em Deus o auxilio, e clamaram para que Moisés intercedesse em favor deles. Pelo texto, vemos que Deus ouviu a oração de Moisés. Não foi algo imediato, as conseqüências do pecado do povo continuavam. No entanto, Ele providenciou uma saída: “os mordidos pela serpente deveriam olhar para a serpente de bronze pendurada na haste e assim ficaria curado”.



Nossa vida pode ser comparada com a travessia de um imenso deserto. Há momentos em que a caminhada é perigosa, outras, cheia de angústias e de medos. Para onde olhar e ficar curado? Como eliminar esse medo? Essa angustia? Assim, na caminhada, quando ela se torna insuportável, com permissão de Deus é claro, muitos procuram alivio, socorro. E nessa situação, os inúmeros Jesus, são apresentados.
Há pessoas que passam a conhecer e visualizar o Jesus juiz - aquele que observa nossas obras e segundo elas nos abençoa ou nos castiga.
Há os que olham para o Jesus hedonista - aquele que nos cobre apenas de felicidades, sem se importar como a temos.
Há os que olham para o Jesus que de acordo e o tamanho do agrado e do sacrifício recompensa os seus com prosperidade.
No entanto, felizmente, há os que conhecem e se agarram no Jesus salvador -  aquele que se fez igual a nós, veio para nos perdoar, mesmo em meio aos nossos muitos pecados, “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5.8), “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus” (2Co 5.21). E o que é extraordinário nisso é que “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;” (Ef 2,8).  E se reconhecemos o verdadeiro Jesus, recebemos dele o verdadeiro perdão, e não há nada que pode nos impedir de viver a verdadeira vida, assim como diz o salmista: “Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens! Pois dessedentou a alma sequiosa e fartou de bens a alma faminta” (Sl 107,9).

No verdadeiro Jesus, o verdadeiro perdão, a verdadeira vida.

Para onde olhar e ficar curado? Para a cruz, a cruz de Jesus. Não que ela seja um símbolo mágico. A cruz é símbolo de derrota, de vergonha, de humilhação, de dor, de morte. No entanto, para nós é símbolo de cura, de alivio, de exaltação. Pois assim como um povo em meio ao deserto que deveria olhar para o alto da haste e ser curado, assim nós em nossa caminhada, precisamos olhar para a cruz da dor, do sofrimento, da morte de Jesus e sermos curado, como dito pelo apóstolo João: “E de modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nele crê tenha a vida eterna” (Jo 3.14-15).

Ao olhar para a cruz de Jesus recebemos a cura dos nossos pecados. Os pecados que nos conduziam a eterna condenação. Em Cristo, a nossa rocha eterna e o nosso abrigo, somos conduzidos a eterna salvação. Jesus sofreu a morte para que nós tivéssemos vida.A cruz é o símbolo, é o sinal, é a indicação de que Deus está bem perto de nós, junto na caminhada nesse deserto da vida. E nessa caminhada vem ao nosso encontro na pregação da palavra, no batismo e no sacramento do altar. No verdadeiro Jesus, o verdadeiro perdão, a verdadeira vida.
Na sua caminhada, qual Jesus você conhece? Qual Jesus está sendo apresentado?
Nesse deserto, nesse mundo, há os que estão cansados, e o cansaço se deve ao engano feito por companhias que os conduziram e conduzem a desertos secos de vida, secos de amor, secos de verdade. Assim, continuam sem olhar para àquele que é a VIDA, o AMOR, a VERDADE. É necessário que nesse deserto, continuemos apontando para a cruz, pois na cruz, em Jesus o salvador está à cura, o perdão dos pecados. Amém.

Mensagem escrita pelo pastor Edson Ronaldo Tressmann

Tenham todos uma ótima segunda.
Fiquem com Deus.
Nóiminha.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Artigo: Lições do Naufrágio!


Lições do Naufrágio

O desastre com o Costa Concordia assusta também os que estão em terra firme. A imagem do “Titanic” italiano, rendido nas rochas, com seu colossal tamanho, luxo e tecnologia, choca e aterroriza a todos que têm consciência das incertezas no mar da vida. Por isto as lições desta tragédia. E a primeira que sobressai é a atitude irresponsável e covarde do comandante. Saiu da rota por motivos fúteis, abandonou o navio quando deveria ser o último, e ainda mentiu para a capitania dos portos. Insensatez, desatinos, e falsidade, no entanto, são marcas que caracterizam a sociedade moderna. O mundo está carente de bons navegadores na família, na política, na economia, nos meios de comunicação, nas escolas, nas polícias, e pior, nas religiões. Todas as instituições estão afundando. Deveriam estar “vento em popa” pela ciência. Mas, quanto mais a humanidade avança na tecnologia, mais regride nos valores éticos e morais.
E assim a atitude deselegante das pessoas na hora de abandonar o navio. A frase “mulheres e crianças primeiro” não foi respeitada. Passageiros relatam que muitos desacataram este regulamento na hora de entrar nos botes salva-vidas. Cavalheirismo, respeito e consideração naufragaram faz tempo. Creio que estamos presenciando aquilo que diz o texto sagrado, que as pessoas serão egoístas, desobedientes, sem amor, incapazes de se controlar e atrevidas (2º Timóteo 3.1-4). Percebe-se isto no trânsito, nas filas, ou em qualquer situação que exige renúncia. A teoria evolucionista da seleção natural, dos mais fortes que abatem os mais fracos, pode ser a explicação, mas não justifica. A sociedade precisa urgentemente da fé na criação e recriação divina, que tem outra teoria: “Quem ama é paciente e bondoso... Quem ama não é grosseiro nem egoísta” (1º Coríntios 13.4,5).
Mas o mundo tem saída. Igual ao navio que requer uma operação dispendiosa, mas capaz para chegar ao estaleiro e ser refeito. Intervenção que já começou quando a Bíblia afirma: “Um dia o próprio Universo ficará livre do poder destruidor” (Romanos 8.21). Até porque não tem como pular fora...

Rev. Marcos Schmidt — Novo Hamburgo, é pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil.

Tenham todos uma ótima sexta.
Fiquem com Deus.
Diego Neumann.